Na luz certa

Im rechten Licht

Na luz certa

A luz certa no local de trabalho não é só importante para o resultado de trabalho. Esta também protege a saúde dos colaboradores e é importante para o conforto. Uma boa luz ajuda a prevenir acidentes.
Mas o que é uma boa luz no local de trabalho?

Não é apenas uma impressão: a luz natural é melhor do que a luz artificial. A luz natural tem efeitos positivos e mantém o corpo e a menta frescos, a luz artificial provoca sinais de cansaço mais rapidamente. As pessoas
consideram a luz natural agradável e isso faz bem à mente. Contudo, em espaços fechados geralmente não há luz natural suficiente. Além disso, a luz natural altera-se: é mais claro ou mais escuro consoante a nebulosidade
ou luz do sol, a hora do dia e a época do ano. A luz natural é difícil de prever. A luz artificial é indispensável. Por isso, uma boa luz artificial no local de trabalho, como uma lavandaria, é extremamente importante.

A luz natural é imperativa

Isto não implica apenas a sensação subjetiva. A luz é mensurável (ver caixa informativa) e a quantidade de luz para um local de trabalho necessária está regulada na Alemanha desde 2011: na diretiva para locais de trabalho ASR A3.4 para a iluminação de locais de trabalho com luz natural e luz artificial. O que significa isso na prática? Todos os locais de trabalho devem receber luz natural através de janelas grandes, clarabóias ou elementos translúcidos. Nos locais de trabalho a percentagem de luz natural deve ser superior a dois por cento, com clarabóias até mais do que quatro por cento. Isto é válido sem exceção, mesmo em salas de descanso. As áreas de trabalho existentes não têm qualquer princípio da salvaguarda de recursos.

Os locais de trabalho têm diferentes requisitos em termos de luz. Um cirurgião necessita de uma luz mais clara do que um operador de armazém. Nas lavandarias é suficiente uma iluminação de 300 lux para lavar e engomar. Para controlar e reparar a roupa é necessária mais luz: aqui são solicitados 750 lux. Para ambas as
atividades é predefinido um índice de reprodução de cor de 80 Ra. Caso contrário, as cores e advertências não podem ser lidas corretamente.

Evitar reflexos

As atividades de enfermagem em instituições de saúde requerem uma solidez da cor de, no mínimo, 90 Ra. Caso se tratem de atividades de baixo risco ou de enfermagem sem contacto com fluidos corporais, fezes ou objetos contaminados, a iluminação na lavandaria deve ser de, no mínimo, 300 lux. Em caso de um maior
potencial de risco devido à interação com fluidos corporais, objetos contaminados ou instrumentos quentes, em movimento, afiados e pontiagudos, é necessário, no mínimo, 500 lux. A luz artificial é a melhor, a luz natural vem a seguir no que toca a cor da luz (ver caixa informativa). Se forem substituídas lâmpadas antigas,
a nova iluminação no local de trabalho deve apresentar uma cor branca quente ou branca neutra. A iluminação LED de alta qualidade não só poupa energia, como também reproduz as cores de forma quase idêntica.
Além disso, ao configurar a luz deve-se prestar atenção para que não ocorram reflexos e a luz não fique ofuscada.

A qualidade é decisiva: qual a composição da luz

(1) A cor da luz: Ra
luz tem diferentes qualidades na reprodução de cores. Se incluir todas as cores do espectro, são reconhecidas todas as cores dos objetos. Assim, é possível discernir as advertências ou luzes no local de trabalho. A índice Ra descreve a qualidade..

(2) A intensidade da luz: lx
A unidade normalizada internacionalmente para intensidade de luz é lux, latim para luz e abreviado com lx. Esta descreve o fluxo luminoso num metro quadrado. O fluxo luminoso é medido em lúmen. Lúmen divido por metros quadrados resulta no valor lux. 

 

Regressar a Vista geral