Diferenciar-se dos outros

Pflegeheim Bloherfelde

A casa de repouso Bloherfelde em Oldenburg

Desafio: a renovação de toda a casa de repouso, incluindo a lavandaria. Solução: Nova construção de uma lavandaria interna, onde foi implementado o conceito de residência geriátrica sustentável da Miele. Resultado: um eficiente circuito de lavagem de roupa e condições de trabalho agradáveis, que possibilitam processos fiáveis e uma elevada qualidade e higiene.

A casa de repouso Bloherfelde em Oldenburg é uma peculiaridade. Este edifício histórico foi um asilo até à primeiro guerra mundial, tendo depois sido lar para crianças, orfanato e lar para idosos. Desde 1974 é uma casa de repouso para pessoas com doenças psicológicas. Atualmente vivem aqui 52 homens e mulheres, com idades entre 22 e 80 anos, que sofrem de depressões ou psicoses. Os residentes são atendidos por um total de 29 funcionários 24 horas por dia e 365 dias por ano. "Somos simplesmente diferentes das outras casas de repouso. Nós festejamos, choramos e vivemos com os nossos residentes», afirma o pedagogo Hermann Dirks, que dirige a casa há 13 anos. 

Há cinco anos surgiu a ideia de modernizar e converter esta casa que necessitava de renovação. Dirks e a sua equipa pensaram em muita coisa – inclusive na velha lavandaria, que nesse tempo ainda estava integrada na área residencial. Mais um desafio: A carga de roupa por residente aumentou. Então, que fazer? Dirks visitou prestadores de serviços externos e lavandarias internas, para ficar com uma ideia. A sua conclusão: Nós próprios podemos fazer tudo isto melhor. Em conjunto com o operador, a associação de distritos de Oldenburg (BVO), decidiu o seguinte: Vamos construir uma nova lavandaria interna! 

Filosofia sustentável

O passo seguinte foi entrar em contacto com o representante de vendas da Miele, Dieter Hoffmann. Um pouco mais tarde este apresentou os primeiros planos: na nova lavandaria deveria ser implementado o conceito de lavandaria da Miele para casas de repouso – com todos os componentes – do software e hardware, a sacos e carros até a formações dos colaboradores. «Ao vermos os planos, notamos que a filosofia sustentável e completa da Miele abrange a nossa», conta Dirks. Ele ficou entusiasmado com o plano. Até ao momento também só tinha tido boas experiências
com a Miele. Assim como a BVO que utiliza máquinas industriais da Miele Professional nas suas instalações. 

A construção começou no outono de 2016. Já em maio de 2017 foi possível colocar a nova lavandaria com 160 metros quadrados em funcionamento. Na nova construção externa, que é ligada à casa de repouso através de um corredor no rés do chão, foram implementadas inúmeras medidas que facilitem o trabalho: o ar circula em espaços com 3,20 metros de altura, assim as temperaturas são agradáveis. A grande janela providencia luminosidade e uma atmosfera agradável. Outro efeito secundário: «Todas as colaboradoras podem olhar para fora e os residentes podem observar a partir do exterior a forma como a sua roupa é lavada», conta Dirks.

Com a ajuda do conceito da Miele o circuito de lavagem também foi reestruturado e organizado de forma mais eficiente: agora a roupa dos residentes é entregue em sacos azuis, a roupa de
cama em brancos e a roupa dos colaboradores em vermelhos, depois é organizada de acordo com a temperatura e a qualidade dos têxteis e lavada em duas máquinas de lavar roupa com barreira
sanitária (1 x máquina de barreira sanitária de 24 kg e 1 x máquina de carga frontal de 10 kg) e seca, engomada e dobrada num lado limpo. 

Os têxteis acabados são dispostos em prateleiras num carro. Estes possuem os nomes dos residentes, assim como todas as peças de roupa que foram marcadas com o nome do seu proprietário.
Isto torna a organização mais simples e rápida de forma que a roupa lavada possa ser distribuída rapidamente. A Miele também providenciou acessórios, como software de computador, onde
estão registados todos os têxteis. Assim, é possível determinar a qualquer momento onde se encontra cada peça de roupa. 

Correto e prudente

Hermann Dirks, diretor da casa de repousi Bloherfelde, em conversa:

Há dois anos tomou a corajosa decisão de construir uma nova lavandaria interna. Porquê?

Não foi uma decisão corajosa, mas sim uma decisão correta e prudente, porque desejamos garantir aos nossos residentes a melhor qualidade e a mais elevada higiene. Vi várias lavandarias externas e verifiquei que só conseguiríamos obter um padrão de higiene aumentado, se nós próprios o fizéssemos melhor.

Porquê? 

No caso de uma solução externa não temos qualquer influência sob os processos, a qualidade e a fiabilidade do tratamento. A gestão de reclamações só nos faria perder tempo e dinheiro. Além disso, um outsourcing implicaria o despedimento de colaboradores. Não queríamos isso. A associação de distrito de Oldemburgo é um empregador fiável. 

Há reações por parte dos seus residentesr?

Num lar de repouso psiquiátrico o tratamento da roupa é um fator altamente sensível. Aqui «A roupa faz a pessoa» assume uma importância ainda maior. Os nossos residentes prestam bastante atenção a quem trata da sua roupa. Alguns desejam trabalhar na lavandaria, o que nós promovemos, pois é um passo em direção à normalidade.

Por que razão colaborou tão estreitamente com a Miele na implementação?

Há vários motivos para isso: as máquinas da Miele são duradouras e fiáveis, a assistência é boa e rápida. Além disso, a Miele pensa de forma completa e sustentável e possui o know-how para que também consigamos lidar com novos desafios..  

Quais poderiam ser esses desafios?

A quantidade de roupa ainda irá aumentar nos próximos anos. Hoje lavamos para 50 residentes, daqui a dois anos talvez lavemos para 70 residentes. Devido à transição demográfica, na nossa sociedade cresce a percentagem de idosos que já não é tão saudável como pessoas jovens. Temos de estar preparados para isso.

Miele Professional no YouTube
Regressar á  vista geral